• Este site usa cookies. Ao continuar a usar este site está a concordar com o nosso uso de cookies. Saber Mais.
  • Devido à mudança de servidor, limpeza do site e diversas atualizações e melhorias, todas as contas de utilizador sofreram um reset total, as passwords não foram migradas devido a serem do conhecimento exclusido de cada utilizador, pelo que devem utilizar a opção de restauro da password: Recuperar Password". Obrigado.

Aquariofilia

#2
Já me dedico à aquariofilia há uns anos, tive discus, néons, guppys, etc. Tive algum tempo de interregno depois de ter mudado de casa e de estar de certo modo desiludido com a constante mortandade que me andava a pairar sobre o aquário. No ano passado em 2014 voltei a este vício com um aquário Nano de 20 litros onde tinha camarões e plantas. Mais recentemente adquiri mais um aquário este com 160 litros onde coloquei ciclídeos do lago malawi (Aulonocara Nyassae).

Aulonocara nyassae macho.jpg Aulonocara nyassae fêmea.jpg
Como se pode observar o macho é bastante colorido de cor azul metálico e a fêmea castanha. O ideal para esta espécie como para a maioria dos ciclídeos é de ter três fêmeas por cada macho. Mais adiante colocarei as características desta espécie.
 
#3
O lago Malawi


O lago

O Lago Malawi é um dos grandes Lagos Africanos e está localizado no Vale do Rift entre o Malawi (a oeste e a sul), Tanzânia (norte e leste), Moçambique (leste). Com uma orientação norte/sul, o lago tem 560km de comprimento, 80km de largura máxima e uma profundidade máxima de 760m, é o 9º lago em extensão no mundo e o 3º maior lago de África.

Em Moçambique e na Tanzânia o lago é conhecido por Lago Nyasa e Niassa, respectivamente. Na língua Chinyanja, falada na orla Moçambicana do lago, Niassa significa lago, tal como o próprio nome do povo que usa aquela língua os Nyanjas. Em Chichewa uma das línguas do Malawi a palavra malawi significa o nascer do sol visto que, estando a ocidente do lago, é dessa forma que os Malawianos vêem nascer o dia sobre o lago. O Lago Malawi é o lago situado mais a sul em comparação com os outros lagos que compõem o complexo denominado de Great Rift Valley de África. A sua formação deu-se por meio de fenómenos sísmicos e vulcânicos entre 1 ou 2 milhões de anos. Esses mesmos fenómenos proporcionaram a movimentação do solo e por consequência rachas no mesmo, originando a formação do lago. Primeiramente a sua dimensão era menor, mas posteriormente teve um aumento de largura e por final ocorreu um aumento do seu comprimento.



Biologia do Lago

O Lago Malawi é conhecido pela sua fauna diversificada, estando a responsabilidade da sua conservação e gerência atribuída a organismos internacionais. Actualmente é considerado património mundial da Unesco.

Actualmente o lago é povoado por mais de 1000 espécies e são endémicos do lago 49 géneros da família Cichlidae. Estudos actuais apontam para a existência de muitas espécies por identificar que habitam em águas profundas.
A quantidade de espécies encontradas no lago é a maior em relação a qualquer outro lago do mundo. Para se ter uma ideia, a diversidade de espécies encontradas no lago é maior do que as espécies de água doce encontradas na Europa e América do Norte, tendo 30% dos ciclídeos conhecidos em todo o mundo.


Os ciclídeos do lago

Os ciclídeos do lago estão divididos em dois grupos: mbunas e não mbunas (estes divididos em Haplochromis e Aulonocaras).
Os mbunas são menores mas mais activos e agressivos e, de um modo geral, herbívoros.
Os principais géneros de mbunas são, Pseudotropheus, Metriaclima, Labeotropheus, Cynotilapia, Melanochromis e Tropheops.
Os não mbunas são menos agressivos, principalmente porque os seus territorios não são tão perto uns dos outros e são menos definidos por habitarem a parte mais aberta do lago (o mesmo pode não acontecer no aquário onde os territórios são mais pequenos).
Alem das inúmeras espécies de peixes, existe outro tipo de fauna no lago, nomeadamente zooplankton, mesocyclops, leuckarti, diaphanosoma, excisum, diaptomus sp.

Dimorfismo sexual
Em várias espécies normalmente o macho é maior e possui coloração mais vistosa do que a fêmea, no entanto, enquanto alevins a maior parte tem a coloração da fêmea, não sendo possível distinguir macho de fêmea, somente quando juvenis e em alguns casos em adultos é que a cor definitiva aparece.
Alguns criadores distinguem os machos pelas barbatanas dorsal e anal, mas o modo mais correcto de sexar é verificando os canais genitais que nas fêmeas são maiores e mais arredondados para facilitar a desova.

Caracteristicas da água


No lago predomina o clima tropical, a temperatura à superfície varia entre 23ºC e 28ºC, contudo de Novembro a Abril ela poderá chegar aos 30ºC.

A outras profundidades, geralmente encontra-se uma temperatura homogénea a rondar os 21ºC. Em alguns locais os ventos provenientes do sudeste principalmente entre Junho e Agosto causam variações de temperatura na superfície, principalmente na parte sul do lago que faz com que a temperatura nesta área possa descer aos 20ºC.
O ph do lago tem uma variação entre 7.8 e 8.6. Esta diferença de valores dá-se principalmente por causa do nível de dióxido de carbono dissolvido na agua, nas zonas mais profundas onde as águas são mais calmas o nível de dióxido de carbono é maior, por consequência o ph é mais baixo.
Os ciclídeos dos lagos africanos, ao contrário dos endémicos de rios, necessitam de águas bastante alcalinas.
O Lago Malawi é caracterizado também pelas suas marés e correntes e por isso os seus habitantes gostam de aguas movimentadas.
Todos os peixes em geral são sensíveis a amónia mas esta é potencialmente mais tóxica para os ciclídeos. A Amónia, em ph alcalino, é muito mais tóxica do que num ph neutro e daí a importância de uma boa filtragem biológica, mecânica e química, para além de trocas parciais de água frequentes.
Os ciclídeos africanos necessitam de água com alto grau de oxigénio dissolvido e baixo grau de CO2.
Se criarmos uma forte movimentação a superfície aumentaremos as trocas gasosas, quanto maior a movimentação (corrente) a superfície menor a quantidade de CO2.

Reprodução
A forma de reprodução dos ciclídeos do lago Malawi denomina-se de incubador bocal maternal. O acasalamento realiza-se num local para onde o macho atrai a fêmea num ritual de movimentos giratórios sobre os ovos depositados, no ritual a fêmea deposita ovo a ovo e o macho fertiliza-o, de seguida a fêmea coloca os ovos na boca dando início a incubação.
No final do período de incubação os alevins são libertados completamente formados e auto-suficientes para procurarem sua própria alimentação.
Se a água, comida e filtragem estiverem dentro dos parâmetros normais as desovas vão acontecer com frequência.
Para um crescimento saudável dos alevins as trocas parciais de água deverão ser frequentes.

acasalamento2.jpg ciclideo.jpg
ciclideo2.jpg ciclideo3.jpg
Artigo de Ricardo Madureira tirado do site ciclideos.com